Exército tenta simular o futuro

15 maio, 2008

Para quem não leu a outra matéria do blog sobre o uso supercomputadores para simular a realidade , sugiro que leiam antes aqui.

Depois de lido o artigo, o que falarei agora fará mais sentido.

O departamento de defesa dos EUA está criando através do uso de supercomputadores, um planeta Terra virtual, para que pudessem prever o futuro. Parece até filme de ficção científica, mas não é. Eles utilizam uma réplica quase identica ao nosso planeta, onde não apenas dados geográficos são adicionados, informações políticas e pessoais também são utilizadas, para tentar prever o comportamento de outros países.

Este sistema tem o nome de SWS (Sentient World Simulation) é descrito no site do projeto como “um espelho sintético do mundo real continuamente ajustado para refletir seu estado”. Sendo constantemente alimentado com notícias de todo o mundo e, até, informações militares ultra-secretas. 

Entretanto está um pouco longe de prever todo o comportamento da Terra, mas está perigosamente avançado, contendo informações a cerca de países como China, Iraque e Afeganistão. Onde, sobre alguns países expecificos, contém dados muito mais detalhados, como os do oriente médio, supostos “inimigos”.

Só para reforçar a idéia, a matrix não está tão longe quanto imaginamos.

Fonte: Wikipédia.


A matrix pode não estar tão longe.

7 abril, 2008

The Matrix

Segundo Michael McGuigan, do Laboratório Nacional Brookhaven, nos Estados Unidos os supercomputadores estão se aproximando de adquirir capacidades que os permitirão criar realidades virtuais ‘à la Matrix’ e ainda que a distinção entre mundo real e virtual será muito difícil.

Uma variante do Teste de Turing foi criada, o Teste de Turing Gráfico, onde um júri humano interage com um mundo virtual e deve ser incapaz de distingui-lo da realidade.

“Nós queremos dizer com interação, que você poderá controlar um objeto – girá-lo, por exemplo – e ele será criado de forma automática em tempo real,” explica McGuigan.

O pesquisador usou o supercomputador Blue Gene/L da IBM (que pode alcançar 103 teraflops) para testar a atual capacidade de renderização em tempo real. Ele chegou à conclusão que ainda não é possível passar pelo teste Turing gráfico já que a para a renderização em tempo real de um mundo virtual seria necessário acima de um petaflop, o que equivale a 1.000 teraflops. Ou seja, só teríamos que esperar até que os supercomputadores sejam 10 mais poderosos do que são hoje.

Incredulidades a parte eu acho, que mesmo que fosse possível alcançar processamentos de 1 pentaflop, não seria o suficiente para se dizer que teríamos mundos virtuais como a matrix. Até por que para se tornar indistinguível o mundo virtual requereria muito mais do que interação com ele em si, mas também nós passar sensações como cheiros e estímulos ao tato. Mas declarações de pesquisadores como essas reforçam a tese de que um dia viraremos bateria de robô 😈 teremos uma matrix.

Fonte: Inovação Tecnológica


Matrix

18 março, 2008

Essa cena foi feita por estudantes brasileiros do curso de Audiovisual 2006 da USP.

Eu dou muito valor a esse tipo de iniciativa, mostra que nem sempre é preciso rios de dinheiro para fazer cenas bacanas. Acho que os diretores de filmes nacionais deviam aprender um pouco com isso, afinal nem só de filmes sobre favela, tráfico e corrupção vive o cinema não é mesmo?

O cinema brasileiro tem crescido muito nos últimos tempos, mas acho que ainda faltam filmes que sirvam para diversão, nem todo filme precisa ser uma critica a alguma coisa. Em certos momentos queremos somente sentar, relaxar e assistir um bom filme. 

Esse outro vídeo segue a mesma linha. Uma refilmagem da invasão de Ohama Beach no Resgate do Soldado Ryan, feita somente por 3 designers gráficos.

Ps: Se quiserem ver mais refilmagens feitas pela turma da usp é só clicar aqui.